Quem é o homem por trás da cenografia de Rock in Rio e Lollapalooza

Marcelo Checon (Foto: Divulgação)

Aos 19 anos, quando cursava as faculdades de hotelaria e administração, Marcelo Checon ganhou uma oportunidade de seu pai, na época presidente da Câmara Brasileira do Livro: trabalhar como produtor na montagem da Bienal do Livro. O jovem mostrou talento e saiu do evento contratado como assistente de produção em uma empresa de cenografia. Depois de dois anos dividindo-se entre os estudos e o trabalho, largou a faculdade para se dedicar à nova profissão.

Por quase uma década, perambulou por produtoras e empresas do ramo. Em 2005, Marcelo vendeu uma moto, juntou R$ 20 mil e, assim, criou a M|Checon Cenografia, que no ano seguinte conseguiu a conta do Nokia Trends, evento que reuniu 12 mil pessoas no Anhembi, em São Paulo.

“Eu fazia de tudo, do financeiro até dirigir caminhão, e foi isso que me deu a bagagem que tenho atualmente”, conta. Hoje, aos 38 anos, Checon tem uma das maiores empresas do ramo no país, com faturamento anual superior a R$ 100 milhões e média de entrega de 20 eventos por mês.

A empresa cresceu, mas não se acomodou. Em uma nova tacada, a M|Checon criou a 3.0, uma agência que pretende estar mais próxima dos clientes, em um ambiente que transmita essa essência – a empresa está de mudança para um novo escritório, em Pinheiros, São Paulo. “Treze anos atuando nesse segmento me deram visão e percepção do que viria a seguir”, afirma o empresário. “Essa experiência foi vital para que eu pensasse à frente, decidisse mudar de forma estratégica nossa atuação no mercado e apostasse nesse modelo inovador de negócio.” Nada mau para quem começou meio por acaso.

GQ Brasil
09:45:00

De sua opinião