Primeiro teste em grande escala na África de vacina contra a malária

A vacina contra a malária mais avançada do mundo, mas com efeitos ainda limitados, será testada em grande escala no Quênia, Gana e Malauí, anunciou nesta segunda-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS), que espera vacinar 360.000 crianças entre 2018 e 2020.

O “programa piloto” será testado em três países que já participaram em testes anteriores da mesma vacina, mas em menor escala.

De acordo com números da OMS, a África é o continente mais afetado pela malária, com 92% das 429.000 mortes registradas no mundo em 2015 por esta doença, transmitida por mosquitos
As crianças com menos de cinco anos representam mais de dois terços das mortes.

A vacina Mosquirix (também chamada RTS,S,), criada pelo laboratório farmacêutico britânico GlaxoSmithKline (GSK) em conjunto com a ONG Path Malaria Vaccine Initiative, está destinada a crianças de pouca idade.

A vacina, combinada com métodos de diagnóstico, tratamentos e medidas preventivas – como os mosquiteiros impregnados de repelentes – “poderia salvar dezenas de milhares de vidas na África”, afirmou à AFP Matshidiso Moeti, diretora da OMS para a África.

O Mosquirix atua contra o ‘plasmodium falciparum’, a variedade mais letal do parasita responsável pela malária, mas não garante uma imunização.
“É uma arma a mais”, disse a funcionária da OMS.

“As informações obtidas com o programa piloto nos ajudarão a tomar decisões para um uso mais amplo desta vacina”, completou Moeti, na véspera do dia mundial de combate à malária.

Em.com.br
12:15:02

De sua opinião