Preocupadas com guerra, China e Rússia monitoram porta-aviões de Trump

Carl Vinson e sua frota. Foto: Matt Brown/US Navy/AFP

China e Rússia enviaram navios de inteligência de suas marinhas para perseguir o porta-aviões de propulsão nuclear Carl Vinson, que os Estados Unidos enviaram para as proximidades da Península Coreana, informaram autoridades japonesas ao jornal Yomiuri Shimbun.

Ao que tudo indica, os países pretendem sondar os movimentos dos EUA, que não descartaram uma ação militar contra a Coreia do Norte, mesmo com o fracasso da nação na tentativa de lançar um míssil no sábado (15). O envio dos navios de busca de inteligência parece ser um modo de enviar um sinal de alerta aos Estados Unidos.

As Forças de Autodefesa do Japão também estariam fortalecendo a vigilância nas águas e no espaço aéreo próximo às Coreias.

Priorizando a estabilidade na Península da Coreia, China e Rússia demonstraram preocupação com a posição dura escolhida pelos EUA ao tratar do assunto com o ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, que acredita que a questão deve ser resolvida pacificamente através de esforços políticos e diplomáticos.

No sábado, a Coreia do Norte celebrou o 105° aniversário de Kim Il Sung, considerado o pai da nação. No próximo dia 25 é a vez do país comemorar o 85°ano da fundação de suas Forças Armadas, mantendo a postura de que pretende realizar um teste nuclear na ocasião.

Gazeta do Povo
09:40:02

De sua opinião