Perícia revela novos trechos da gravação entre Temer e Joesley

O presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista (Folhapress/AP)

Além de concluir que não houve edição, a perícia da Polícia Federal que analisou a autenticidade das gravações entregues pelo empresário Joesley Batista à Procuradoria-Geral da República (PGR) acabou conseguindo esclarecer trechos que, antes, estavam incompreensíveis no diálogo entre ele e o presidente Michel Temer (PMDB).

Em um desses momentos, uma nova fala de Temer pode fortalecer a acusação feita por Joesley de que o presidente consentiu com o pagamento de propina ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em troca do silêncio do parlamentar. Em outro, Temer diz ao empresário que ele foi uma das “influências maiores” para a escolha de Henrique Meirelles como ministro da Fazenda.

Na transcrição feita pela perícia, quando falam sobre o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), Temer questiona se “o Lúcio” estava lá, em uma possível referência ao deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel que ainda não havia sido identificado no diálogo, ao que ouve a negativa do empresário.

Na sequência, quando já estariam discutindo a situação de Cunha, pouco depois de Joesley dizer “Todo mês”, interpretado pela PGR como referência a pagamentos mensais, Temer questiona, em trecho antes não decifrado: “E o Eduardo também?”, ao que Joesley confirma “também”. A expectativa é que o procurador-geral Rodrigo Janot o denuncie, com base nesta gravação, também por obstrução de Justiça, ao tentar impedir um investigado de colaborar com as investigações.

Veja.com
09:55:55

De sua opinião