Os 100 dias de Trump e um impacto preocupante para a imigração

Donald Trump chega à Casa Branca em 28 de abril de 2017 – AFP

O presidente Donald Trump alcança neste sábado a marca simbólica de 100 dias à frente do governo, com uma gestão que já tem um efeito preocupante para os imigrantes em situação irregular, que vivem agora a ameaça da deportação.

Trump pavimentou seu caminho rumo à Casa Branca com um pacote de promessas que incluía a expulsão dos mais de 11 milhões de imigrantes em situação irregular, independentemente de sua situação familiar, e a construção de um muro na fronteira com o México.

Desta forma, a chegada de Trump à Casa Branca representou o sepultamento definitivo das ilusões de reforma migratória como a impulsionada pelo ex-presidente Barack Obama, e marcou o início de uma era de medo e insegurança para os imigrantes.

“O novo cenário, com prisões sem distinção se a pessoa é criminosa ou não, é preocupante. Porque deixa em situação de risco toda a população migrante”, declarou à AFP a especialista Maureen Meyer, do centro de análises WOLA, em Washington.

Como as entidades de defesa dos imigrantes lembram constantemente, a imensa máquina americana de deportação já funcionou durante o governo de Obama, que inclusive chegou a ser chamado de “Deportador em Chefe” pelos ativistas mais críticos.

Mas a administração Obama buscava evitar separar famílias e ao mesmo tempo impulsionou, na reta final de sua gestão, um mecanismo para que imigrantes cujos filhos tivessem regularizado sua situação também pudessem se beneficiar de um processo de normalização.

Com o novo governo, no entanto, a questão passou claramente a ser encarada no âmbito da segurança nacional, que se resolverá em parte através de um fortalecimento da presença armada ostensiva ao longo da fronteira com o México.

“A segurança migratória é segurança nacional”, disse Trump na sexta-feira, em uma frase que resume em apenas seis palavras a nova visão sobre o fenômeno migratório.

IstoÉ
12:00:02

De sua opinião