Negativa de visto para os Estados Unidos triplica no Brasil

A farmacêutica Fernanda Alves da Silva, 28 anos, o marido Bruno e o filho Bryan, de 7 anos, que tiveram o visto para os Estados Unidos negado (Arquivo Pessoal/Reprodução)

Tirar um visto para viajar aos Estados Unidos está cada vez mais difícil. Segundo dados da embaixada norte-americana no Brasil, a taxa de recusa de vistos para visitantes brasileiros triplicou em 2016 em comparação com o ano anterior, saltando de 5,36% para 16,7%. Se comparada à taxa de recusa em 2014, o número é ainda mais impressionante: naquele ano, apenas 3,2% dos solicitantes tiveram o pedido recusado. Só no ano passado foram emitidos 495 mil vistos de não imigrantes na categoria B (negócios e turismo).

A Embaixada dos Estados Unidos não informa as razões das negativas, fornece apenas as estatísticas. Mas o principal fator apontado por profissionais que trabalham com auxílio na emissão de vistos é a crise econômica que atinge o Brasil de forma mais intensa desde 2015 – o que, em teoria, significa que mais pessoas estão buscando alternativas fora do Brasil.

“As exigências para conceder o visto não mudaram, mas com a crise econômica percebemos que há mais solicitantes sem condições de comprovar os vínculos com o país. São mais pessoas desempregadas ou autônomas, que muitas vezes têm mesmo a intenção de estabelecer vida lá”, avalia Carlos Hirao, gerente de uma empresa que oferece serviço de despachante há 17 anos.

Veja.com
12:00:02

De sua opinião