Justiça determina suspensão de atividade em frigorífico

A Justiça determinou a paralisação imediata do funcionamento das atividades do Frigomar, em Presidente Prudente. A liminar concedida pelo juiz Paulo Gimenes Alonso foi proferida após o MPE (Ministério Público Estadual) ajuizar uma ação contra o estabelecimento por conta da “ausência da licença de operação, poluição ambiental produzida por suas atividades, além de intervenções em APPs [áreas de preservação permanente] do local”.

O diretor e proprietário do frigorífico, que possui atualmente 230 funcionários, Sandro Martos, informa que a empresa ainda não foi notificada da decisão judicial, mas tomará as medidas cabíveis assim que isso ocorrer. O empresário expõe ainda que realizará todos os ajustes necessários para resolver “qualquer tipo de problema”.

No documento, o juiz cita um ofício emitido pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), dando conta de que a empresa “não cumpre suas obrigações ambientais, além de exercer suas atividades sem estar provida das licenças ambientais”. A pena de multa diária pelo não cumprimento é de R$ 1 mil.

A medida liminar concedida obriga, além da paralisação, que o frigorífico se abstenha de intervir de qualquer modo, ou de permitir que se intervenha nas áreas de preservação situadas no imóvel e que promova, em 30 dias, a retirada das construções indevidas nesses locais, dispondo-se o entulho em local previamente aprovado e licenciado.

Imparcial
10:35:55

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *