Dr. Rondó

Pedro Ladeira/Folhapress e Raniery Soares/Futura Press/Estadão Conteúdo – Montagem BOL… – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/07/18/moro-diz-que-reforma-do-triplex-e-prova-da-corrupcao-de-lula-e-compara-caso-ao-de-cunha.htm?cmpid=copiaecola

Mais Drogas Químicas, Menos Expectativa de Vida

Conforme a taxa de prescrição de medicamentos cresce, cada vez mais a expectativa de vida dos EUA vai no caminho contrário! Segundo o último ano para o qual os dados estatísticos estão disponíveis (2015), a expectativa de vida para os americanos caiu de 78,9 anos em 2014 para 78,8 anos em 2015.

Apesar de ser uma pequena mudança, chama a atenção. Precisamos ver isso com preocupação, pois de certa forma reflete a nossa realidade.

Segundo relatos da STAT News:

“Em 2015, a expectativa de vida no nascimento nos EUA foi de quase 79 anos, em comparação com 81 na União Europeia. Mais de 30 nações têm expectativa de vida superior à nossa, incluindo Hong Kong e Japão (o maior em 84 cada), bem como França, Islândia, Itália, Cingapura, Espanha, Suécia e Suíça (em cada 83). Mesmo Cuba, com muitos menos recursos para cuidados de saúde do que nos EUA, bate-nos (aos 80). Os homens mais pobres da América têm expectativa de vida semelhante aos homens em Honduras e no Paraguai.”

E qual seria o motivo?

  1. Cerca de 60% da dieta americana é ultraprocessada;
  2. Metade de todos os americanos está cronicamente doente;
  3. Metade de todos os americanos também são pré-diabéticos ou diabéticos;
  4. Os gastos com cuidados de saúde são para doenças diretamente relacionadas ao consumo excessivo de açúcares, que chegam a 40%;
  5. Menos de 1% das calorias diárias provêm de vegetais;
  6. Aumento taxas de obesidade e doenças crônicas impulsionadas por estilos de vida não saudáveis. ;
  7. Cerca de 20% dos americanos usam medicamentos prescritos por razões não-medicinais, com associações de duas a três drogas, sem o cuidado médico necessário. Criou-se uma epidemia silenciosa, no qual os médicos não estão valorizando o risco de interações medicamentosas, o que está gerando a principal causa de morte nos EUA.

Como se corrige o problema

  1. As mudanças de estilo de vida, incluindo a dieta saudável, são fundamentais
  2. Com isso instalado, deve-se reduzir e retirar as medicações desnecessárias sem gerar dano algum ao paciente.
    A pesquisa sobre o tema está crescendo, com resultados promissores voltados para orientações dos médicos sobre esse assunto. Uma revisão descobriu que, em muitos casos, “os medicamentos podem ser retirados com sucesso, com pouco ou nenhum dano ao paciente; alguns ensaios também demonstraram benefícios como o risco de queda reduzido”.

Portanto, para que você tenha dias melhores com mais saúde e bem estar, é importante ter em mente que o corpo humano se autorrepara quando se adota um estilo de vida saudável. Assim, você tem o controle da sua saúde e o entendimento de que medicações são adequadas somente para situações agudas, e quanto antes não precisar delas, melhor!

Referências bibliográficas:

  • STAT News July 31, 2017
  • Can J Hosp Pharm. 2013 May-Jun; 66(3): 201–202
  • JAMA. 2015;314(10):1021-1029
  • Web MD September 8, 2015
  • Credit-Suisse October 22, 2013
  • Fast Food Nation by Eric Schlosser (Penguin Books 2001)
  • Rense August 23, 2007
  • PBS April 21, 2010

14:00:00

De sua opinião