Como Manter as Crianças Livres de Óculos

É de entristecer quando nós vemos uma criança pequena usando óculos o tempo todo. Para nós, já é ruim começar a precisar deles quando completamos 40 anos.

Mas uma criança deveria poder correr, brincar e desfrutar das atividades infantis sem ser inibida por óculos.

E eu acredito que haja uma maneira simples de tornar isto realidade.

É possível parar e até mesmo reverter o verdadeiro culpado por detrás da deficiência visual das crianças

Na verdade, na maioria das vezes, a visão curta (tecnicamente conhecida como a miopia) é o culpado das crianças precisarem de óculos:

Esta é uma condição frequentemente progressiva na qual os globos oculares gradualmente ficam deformados e o foco correto da luz da lente do olho para a retina não se torna mais possível.

Segundo os estudos do Dr. Arthur Alexander Knapp, realizados de forma pioneira nos anos 1930 e 1940, demonstrou-se que, em animais de laboratório, a falta de cálcio e de vitamina D causou o mesmo tipo de deformidade do globo ocular daquela que ocorria na miopia humana.

Em outras pesquisas, ele descobriu que estes mesmos nutrientes frequentemente estabilizavam ou até revertiam a miopia em adultos humanos.

Apesar de não haver estudos em crianças, entendo que esse conhecimento possa ser usado melhorando a condição dos pequenos.

Quando temos o cálcio em quantidade suficiente (equilibrado com o magnésio) e a vitamina D durante a gravidez, há uma possibilidade muito grande disso ser fundamental na prevenção da miopia infantil. Principalmente se essa condição for mantida ano a ano na vida da criança.

Portanto, se uma criança estiver começando a desenvolver a miopia, a suplementação de quantidade suficiente de cálcio (equilibrado com o magnésio) e a vitamina D poderão parar a progressão e, em alguns casos, revertê-la parcialmente – ou até completamente.

No caso de uma gestante, inicialmente, para se ter a quantidade adequada de cálcio e vitamina D eu recomendo uma boa quantidade de ácidos graxos ômega-3, que as pesquisas demonstram melhorar o desenvolvimento das habilidades motoras nos primeiros anos após o nascimento. Eles também diminuem a tendência para desenvolver déficit de atenção e hiperatividade.

Mas, por mais benéfico que seja, o óleo de peixe não fornecerá a vitamina D suficiente por si só. Então eu também recomendo tomar suplementos de vitamina D. A dose diária para todos os adultos, incluindo mães prospectivas, deve ser 5.000 UI por dia.

E além do óleo de peixe e a vitamina D, recomendo ainda 1.000 miligramas de cálcio por dia, equilibrado com 300 a 400 miligramas de magnésio.

No caso dos recém-nascidos, por outro lado, não se precisa de uma dose tão alta. Para eles, eu recomendo 2.000 UI por dia.

Em uma pesquisa escandinava, mais que 12.000 mães recentes foram aconselhadas a administrarem aos seus recém-nascidos 2.000 UI de vitamina D por dia.

No acompanhamento 18 anos mais tarde, os pesquisadores relataram que as crianças que receberam 2.000 UI de vitamina D no primeiro ano de vida não só não foram danificadas, como também tinham 80% menos incidência de diabete tipo 1.

Já os infantes que nasceram de mães que tomavam óleo de peixe e vitamina D 5.000 UI por dia e pelo menos 1.000 miligramas de cálcio, equilibrado com 300 a 400 miligramas de magnésio antes e durante a gravidez – e que subsequentemente foram administrados 2.000 UI de vitamina D diariamente (vagarosamente aumentadas na medida em que envelhecem) – tiveram 80% menos miopia (e 80% menos necessidade para óculos) do que as crianças cujas mães não fizeram nada disto por elas.

Portanto, se você não quiser que os seus filhos ou netos usem óculos antes dos quarenta anos (e talvez até minimizar as chances disto também), é o momento de se pensar nisso. Aproveite!

Referências bibliográficas:

Nutra Ingredients October 28, 2009
Lancet 2001; 358: 1.500-1.503
Opthalmology 117 (12): 2395-2401, December 2010
Archives of Ophthalmology April 2011, Vol. 129, No. 4
Neurobiology of Aging January 2, 2012
Miopia em crianças. J. V. Wright

14:00:52

De sua opinião