Brasil tem 58 ativistas mortos em 2017, diz Anistia Internacional

Um relatório divulgado nesta terça-feira pela Anistia Internacional mostra que 58 defensores dos direitos humanos foram assassinados no Brasil entre janeiro e agosto deste ano.

O levantamento “Ataques letais, mas evitáveis: assassinatos e desaparecimentos forçados daqueles que defendem os direitos humanos” mostra que o índice em oito meses de 2017, no entanto, não atingiu o número de todo o ano de 2016, quando 66 ativistas foram mortos no país.

“Em 2017, esse número pode ser ainda maior. A falta de investigação e responsabilização dos ataques e ameaças sofridos pelos defensores coloca centenas de homens e mulheres em risco todos os anos”, diz a coordenadora de pesquisa e políticas da Anistia Internacional no Brasil, Renata Neder. “É fundamental que o Estado brasileiro reconheça que se mobilizar para defender direitos também é um direito humano e que implemente políticas concretas para garantir a proteção dos defensores de direitos humanos.”

Veja.com
10:05:03

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *