Brasil está menos vulnerável, diz Ilan

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou em discurso nesta sexta-feira, 30, que o Brasil está menos vulnerável a choques externos e internos por ter amortecedores “robustos”. Em evento do Grupo Estado, o dirigente disse que o BC encara o momento atual de crise política com “serenidade” e ressaltou que a ampliação do prazo de validade da meta de inflação anunciada esta semana vai permitir juros menores de longo prazo.

“Hoje vivemos uma situação econômica capaz de absorver choques”, disse Ilan, destacando a melhora do balanço de pagamentos do Brasil e os US$ 375 bilhões das reservas internacionais. Além disso, o regime de câmbio flutuante garante a primeira linha de defesa do País e o BC atua ainda em outras frentes, como o programa de swap cambial. “Isso nos dá conforto para suavizar os choques que venham por aí. Não vai ter nenhum problema no funcionamento do mercado, nenhuma descontinuidade.”

Nas últimas semanas, desde a delação da JBS, o ambiente de crise política provocou aumento da incerteza na economia, observou Ilan. Como consequência, cresceram as dúvidas sobre o andamento das reformas e a implementação dos ajustes econômicos. Mesmo assim, o dirigente ressaltou que o BC encara o momento com serenidade. Nesta sexta, Ilan afirmou que permanece no governo mesmo que haja troca de comando no Planalto.

Estadão Conteúdo
15:00:54

De sua opinião