Bolsonaro lidera em cenário sem Lula, diz Datafolha

Ex-presidente, no entanto, mantém índices de intenção de voto mesmo após condenação pelo TRF4.

Na primeira pesquisa após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado em segunda instância, o que pode torná-lo inelegível pela Lei da Ficha Limpa, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) surge como líder absoluto. Nas quatro simulações feitas nos dias 29 e 30 de janeiro pelo Instituto Datafolha, o parlamentar aparece com índices de intenções de votos que variam entre 18% e 20%. Em dezembro, Bolsonaro somava entre 21% e 22% nos cenários sem o petista.

A pesquisa foi feita na segunda-feira, 29, e na terça-feira, 30 — após, portanto, o julgamento no TRF4, que ocorreu na quarta-feira, 24. O levantamento foi divulgado na madrugada de hoje, 31, pela Folha de S.Paulo. O Datafolha entrevistou 2.826 pessoas em 174 municípios. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos.

Veja
09:15:03

5 Comments

  1. MESMO COM O LULA SENDO CANDIDATO, O BOLSONARO VAI VENCER, POIS ESSAS PESQUISAS SÃO FEITAS NOS REDUTOS DO PT E DAS CENTRAIS DE TRABALHADORES, A GRANDE MASSA QUE NÃO ESTA SATISFEITA COM A SITUAÇÃO DO PAIS NÃO É ENTREVISTADA

    1. Pesquisa do data folha divulgada nesta quarta feira (31) mostra que o ex-presidente Lula, lidera disparado no primeiro turno e ganharia em todos os cenários no segundo turno, Quem não pode com as urnas aposta no GOLPE!! Lula é um resiliente: Nem a perseguição brutal que ele sofre foi capaz de tirar votos, pelo contrário o homem só cresce!!!

  2. A campanha de Bolsonaro tende a “desidratar” com a ausência de Lula, isso é fato. O seu extremismo destro ganhava força contra o petismo, e este era o seu único legado eleitoral, até então. Com a ausência do petista, o jogo torna-se indefinido, mas eu ainda aposto minhas fichas na vitória tucana, alavancada pelo poder de coalizão com partidos importantes, somando tempo de televisão expressivo contando com maior fundo partidário. É importante ressaltar que já nesta pesquisa, Bolsonaro perde em segundo turno para Marina, ( 42% x 32%); e para o próprio Alckmin, (35% x 33%). Enfim, é um paradoxo, mas a ausência de Lula já mostrou-se prejudicial a Bolsonaro, sendo que a tendência é que candidatos de centro, que adotem discurso mais moderado sejam beneficiados até outubro.

    Ass: O Eldoradense

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *