Berberina: Controle o seu Peso sem Medicações

A berberina é um fitoterápico, que de acordo com pesquisas, tem sido usado na China por centenas de anos para tratar o que nós identificamos como sendo diabetes tipo 2.

Em 1988 foram publicados pela primeira vez os efeitos da molécula de Berberina isolada, sendo usada em indivíduos com aumento de peso por diabetes tipo 2.

Em outros estudos, realizados em 2004 e 2005, observou-se importante redução da glicemia de controle, tanto de jejum como pós-prandial, além de reduzir colesterol e triglicérides.

O que é bem interessante é que berberina tem a sua ação com raríssimos efeitos colaterais quando comparada com qualquer medicação química. Em um estudo com pessoas obesas, aonde se usou 1500 mg em divididas doses de 500 mg num período de 12 semanas, houve perda de 2,5 kg em média nesse intervalo de tempo.

Como a berberina faz o trabalho

Ativa uma enzima (a proteinokinase ativada – AMP ou AMPK) que ajuda a regular a absorção de glicose e oxidação (queima) de gorduras, gerando regulação da insulina e indiretamente da glicemia

Ativa a síntese do transportador de glicose 4 (GLUT-4), o transportador de glicose regulado pela insulina. Ele é encontrado na musculatura cardíaca, na gordura e no esqueleto, sendo responsável por transportar a glicose da corrente sanguínea para dentro das células. GLUT-4 só é encontrada nas células musculares e de gordura, os maiores tecidos que respondem à insulina.

Ativa a expressão (número e atividade) de receptores de insulina, permitindo que a insulina seja mais efetiva.

Inibe uma enzima (Proteína tirosina fosfatase 1B ou PTP1B) que por sua vez inibe receptores de insulina. Quando os receptores de insulina são inibidos, a insulina passa a funcionar melhor.

Estimula a produção de incretina, hormônio secretado pelo estômago e intestino que aumenta a quantidade de insulina e inibe o glucagon (hormônio produzido pelo pâncreas que age opostamente à insulina ) após a alimentação, disponível assim que a glicose começa a subir. Incretina também reduz a taxa de absorção de nutrientes na corrente sanguínea pela redução da velocidade de esvaziamento gástrico, o que pode indiretamente reduzir a ingesta de alimentos.

Reduz gordura visceral por inibir depósito de gorduras e melhorar a função não só de insulina, mas de leptina e adiponectina.

Aumenta a atividade da gordura marrom (clique aqui para saber mais sobre a gordura marrom) que queima mais gordura como combustível energético em vez de depositá-la.
Resumindo:

A berberina regula o metabolismo energético aumentando a expedição de energia, limita ganho de peso e inibe a absorção da glicose, tendo, portanto um alto potencial no tratamento da obesidade.

Além do mais, você estará “se condicionando e ganhando energia” como se estivesse fazendo exercício, mas sem fazê-lo… E “queimando gordura e perdendo peso” como se estivesse fazendo dieta, mas sem fazê-la. Não é incrível?

Referências bibliográficas:

J Clin Endocrinol Metab. 2008; 93(7):2559-65
Diabetes. 2006; 55(8):2256-64
Metabolism. 2009; 58(1):109-19
Zhong Xi Yi Jie He Ganbing Za Zhi. 2004; 14:334-336
Diabetologia September 8, 2014
Lancet Diabetes &Endocrinology November 10, 2015
University of Maryland Medical Center, Berberine

14:00:54

De sua opinião