A Mulher no pós parto, por Tácito Cortes

O bebê já nasceu e a alegria agora é muito grande.
Mas alguns cuidados são necessários no período que, nós médicos, chamamos de puerperal. O puerpério é o período de seis semanas a seguir do parto; é dividido em puerpério imediato, as primeiras 24 horas; puerpério precoce, a primeira semana; e puerpério remoto, as 5 semanas seguintes. Nesta fase ocorrem as regressões das modificações que a gravidez provocou no corpo. Assim, vamos procurar de forma sucinta orientar a mãezinha que acabou de ganhar um bebê e se encontra ávida de orientações.

Em primeiro lugar, após o parto normal ou cesárea devemos estimular para que a mulher, havendo condições, levante precocemente do leito, pois o andar precoce melhora o funcionamento dos intestinos e da bexiga e evita complicações trombo embólicas, ou seja, a coagulação do sangue dentro das veias que pode acontecer principalmente nas pernas. Assim para o parto normal a paciente deve se levantar no prazo de 6 horas e na cesárea após 12 horas; isto permite inclusive a alta precoce que é importante para a mãezinha e para o bebê. Quando há condições de alta, ou seja, quando não ocorreu nenhum problema durante os procedimentos do parto, a puérpera pode ir para casa com 24 a 48 horas. É normal certa demora no funcionamento intestinal principalmente após a cesárea já que o manuseio dos intestinos e uma pequena quantidade de sangue que fica na cavidade abdominal pode causar uma parada dos mesmos. Também as primeiras micções podem ser dolorosas e difíceis principalmente pelo uso de sondas e pela anestesia. O uso de laxativos suaves e dieta com fibras podem ajudar muito a diminuir o incômodo. Assim que a puérpera se levanta deve tomar um banho podendo inclusive lavar a cabeça que não afeta a evolução saudável do puerpério e os curativos podem ser trocados.

Amamentar o bebê é outra preocupação constante da mamãe. A mama é preparada durante toda a gravidez para produzir leite em quantidade suficiente para o recém-nascido. Vários hormônios estão envolvidos no desenvolvimento e crescimento mamário, bem como na elaboração e na ejeção do leite sendo que os principais, a ocitocina e a prolactina, são produzidos pela hipófise e atuam sobre a mama aumentando a produção do leite à medida que o bebê suga o mamilo. Importante é oferecer o seio toda vez que o neném solicitar tomando o cuidado de lavar muito bem antes o mamilo com água morna e filtrada. A higiene protege o bebê e o mamilo evitando que a mulher tenha uma infecção mamária, a mastite, de difícil tratamento. O volume de leite produzido é variável de mulher para mulher, mas uma coisa é certa: quanto mais o bebê suga mais leite a mamãe tem! A apojadura ou descida do leite ocorre 2 a 5 dias após o parto e, em geral, após os primeiros 15 dias a mulher chega à produção máxima de leite, qual seja, 900 ml por dia.

Para ajudar na produção do leite e para se manter com saúde a puérpera deve ingerir grande quantidade de líquido e sua dieta deve conter no mínimo 2600 calorias por dia.

Assim, iniciando atividades físicas por volta da segunda semana se tiver sido parto normal e a partir da terceira se tiver sido cesárea a mãezinha logo poderá desenvolver suas atividades normalmente o que, como sabemos, ocorre por volta das 6 semanas pós parto, ou seja, pós puerpério embora na verdade muitas das alterações que ocorrem durante a gestação só voltarão ao normal depois de 6 meses.

TÁCITO CORTES DE CARVALHO E SILVA
 doutortacito@bol.com.br
Consultório à Rua Floriano Peixoto, 49 – Centro  Presidente Venceslau
Fone (18) 3271-2024

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *